Ultrassom

O Centro Veterinário São Francisco conta com um moderno ultrassom portátil e para facilitar ainda mais o entendimento do proprietário quanto as alterações, as imagens podem ser visualizadas numa televisão de LCD.

A ultrassonografia veterinária é utilizada há cerca de 10 anos. Muitas vezes é o exame de primeira escolha do clínico, já que nos dá uma visão geral de todos os órgão internos do animal, além de ser um método não invasivo e totalmente seguro.

Algumas recomendação devem ser seguidas para realização de um bom exame ultrassonográfico:

· Jejum de 12 horas para diminuir a quantidade de alimento e gás em trato gastrointestinal.

· A ingestão de líquido deve ser estimulada, exceto leite, o que poderia aumentar a quantidade de gases.

· O paciente não deve urinar pelo menos 2 horas antes do exame, pois a bexiga repleta facilita o exame da própria bexiga urinária, como dos órgãos localizados na região hipogástrica e pelve.

Aplicações clínicas da Ultrassonografia:

FÍGADO E VIAS BILIARES: informações sobre as dimensões, margens, parênquima e vascularização, detectando aumento ou redução da área hepática, presença de cistos, alterações circulatórias congestivas, hepatite, esteatose, cirrose, neoplasias focais ou difusas. Presença de lama biliar, litíases, pólipos, colecistite, etc.

BAÇO: informações sobre dimensões, contornos, parênquima e vascularização, detectando alteração circulatória congestiva, toxemia, hematomas, cistos, neoplasia, etc.

RINS: informações obre simetria renal, forma, dimensões e principalmente arquitetura interna (diferenciando a região cortical, medular e pelve, e analisando a junção córtico-medular). As principais indicações são as suspeitas de neuropatas, hidronefrose, cistos, infartes, litíases, etc. Os ureteres somente serão visualizados nos casos de hidroureter e em alguns casos de ureter ectópico.

BEXIGA URINÁRIA: informações sobre sua forma, topografia, condições de parede e tipo de conteúdo, detectando cistites, litíases (de qualquer tamanho ou natureza), pólipos, neoplasias, etc.

PÂNCREAS: normalmente é difícil de ser visualizado, por ser um órgão difuso, sua ecogenicidade é semelhante a da gordura mesentérica, e sua topografia é muito próxima ao duodeno, mas seu exame é indicado nas suspeitas de pancreatite, obstrução biliar extra-hepática e neoplasias.

TRATO GASTROINTESTINAL: este exame pode ser útil para avaliar espessamentos de parede, motilidade intestinal, e na suspeita de processos obstrutivos, como a intussuscepção, cujos achados são patognomônicos, mas pode ser inútil em processos obstrutivos que causem dilatação generalizada das alças intestinais por conteúdo gasoso, não permitindo a passagem das ondas sonoras.

PRÓSTATA: informações sobre dimensões, lobos, contornos, parênquima, uretra prostática, detectando cistos, abcessos, hiperplasia/hipertrofia, prostatite, neoplasias, etc.

TESTÍCULOS: informações sobre simetria, contornos, arquitetura, parênquima, detectando processos inflamatórios, neoplasia, etc. Em animais criptorquídicos podemos ajudar na localização do testículo ectópico, mas este exame deve ser realizado em animais de pouca idade.

ADRENAIS: as indicações para a realização desse exame são as suspeitas de hiperadrenocorticismo e neoplasia.

LINFONODOS: normalmente não são visualizados, mas são identificados em casos de linfoadenomegalia por causas inflamatórias e neoplasia.

OVÁRIOS: informações de sua simetria, contornos, parênquima, presença ou não de cistos. Pelo ultra-som não podemos diferenciar cistos funcionais de cistos não funcionais. É um método diagnóstico útil após a realização de OSH, para verificar a formação de granulomas e abcessos na região dos pedículos ovarianos e coto uterino.

ÚTERO: informações sobre dimensões muco/hemo/piometra, hiperplasia endometrial cística, neoplasia e avaliar condições uterinas no puerpério.

GESTAÇÃO: é utilizada para detecção precoce à partir de 20 dias pós cobertura. A idade gestacional é avaliada através da maturação fetal e a vitalidade observada pela monitoração da freqüência cardíaca fetal. A contagem dos fetos pode ser realizada ao redor 28 – 30 dias de gestação, mas o número de fetos será sempre aproximado e quanto maior o número de fetos menor a chance de acerto. A reabsorção e a morte fetal (maceração e mumificação) também são visualizados.

ASCITE: Nos casos de presença de líquido abdominal livre a ultrassonografia, ao contrário da radiologia, evidencia a definição de imagem dos órgãos.